7.11.11

Vídeo do Projeto Acadêmico


Amigos este blog está praticamente inativo. A pedido dos proprietários da edificação não divulguei mais o projeto... Deixarei apenas este vídeo no blog... quem sabe volto a nutrir o blog futuramente com pesquisas relacionadas ao tema das autonomias comunitárias em geral...

O meu interesse pelo tema das Autonomias Comunitárias me levou a escrever uma dissertação de mestrado, intitulada "Conversões de abandonos: autonomias, utopias urbanas" (2015). Aproximadamente 350 páginas. Orientador Professor Fernando Fuão. Para quem tiver interesse em lê-la, em breve estará disponível nos meios digitais de pesquisas acadêmicas (colocarei o link aqui). 

abraços,
Marcelo Gotuzzo




Segue o resumo / abstract do estudo científico: 

RESUMO
Para além das questões de moradia, diversos indivíduos e grupos sociais brasileiros reivindicam o seu direito à cidade. A Comunidade Autônoma Utopia e Luta tornou-se um dos símbolos de resistência urbana brasileira, denunciando a urgência para uma revisão nas formas com que a habitação popular vem sendo tratada. Esta Comunidade, em 2005, ocupou de forma radical e estratégica uma edificação pública abandonada no Centro Histórico de Porto Alegre, convertendo-a em um equipamento urbano de práticas inclusivas, a partir de projetos autônomos, ou seja, à parte do assistencialismo genérico e generalizado praticado pelos governos. Ademais, esta Comunidade entrou para a história brasileira quando influenciou uma alteração de Lei, tornando-se em seguida o primeiro caso a receber o repasse de imóveis da União para projetos de inclusão social.
O presente estudo avalia o caso desta ocupação sob a ótica das autonomias comunitárias como vias alternativas e saudáveis para o desenvolvimento das cidades. Também avalia-se o discurso das requalificações de edificações, e das áreas urbanas abandonadas, para os usos sociais e comunitários. 
Apresentam-se referências históricas de outras autonomias “utópicas”, em casos peculiares de resistências urbanas propositivas sobre edificações e áreas abandonadas, entre as décadas de 1960 e 1980. Destacam-se, na Europa, o surgimento do Movimento Squatter e o caso da ocupação do bairro Kreuzberg, em Berlim. Em Nova York apresenta-se o caso do bairro SoHo, quando ocupado por artistas autônomos determinados a impactar profundamente no pensamento e na produção da arte, arquitetura e planejamento urbano contemporâneos.
PALAVRAS-CHAVE:
Comunidade Autônoma Utopia e Luta; ocupação urbana; autonomias urbanas; movimentos autônomos; ocupações de artistas no SoHo Nova York; Movimento Squatter; ocupações de prédios abandonados.

ABSTRACT
Beyond the housing issues, several individuals and social groups claim their rights to the city in Brazil. The Comunidade Autônoma Utopia e Luta has become one of the country's urban symbols of resistance, denouncing the urgency to review the ways in which social housing has been treated. This community, in 2005, has occupied - on an radical and strategical way - an abandoned public building, in the historic district of a big city, called Porto Alegre. This action soon converted the idle building into an urban equipment of inclusive practices catalyzed by autonomous projects, that is, apart from the generic and widespread “welfare” practised by governments. Moreover, this Community made ​​history when influenced a change of Law, becoming the first case to receive the appropriation of a public building from the Brazilian state, to be used on social projects.
This study evaluates the case of this occupation, from the perspective of communitary autonomies as an alternative and healthy way for the development of cities. Also evaluates the discourse of requalification of abandoned buildings, and desolate urban areas, for social and community uses.
This study presents historical references of other “utopian” autonomies, in peculiar cases of propositional urban resistances over abandoned buildings, between the 1960’s and 1980’s. Are emphasized, in Europe, the emergence of the Squatter Movement and the case of an occupation over the Kreuzberg district, in Berlin. In New York, it is presented the case of SoHo’s district, when occupied by independent artists determined to profoundly impact in the thought and production of contemporary art, architecture and urban planning.
KEY-WORDS:
Comunidade Autônoma Utopia e Luta Brazil; urban occupation; urban autonomies; autonomous movements; occupations of artists in SoHo NY; Squatter Movement; occupation of abandoned buildings.


Um abraço fraterno. Marcelo Gotuzzo